Categoria dilemas vários

casei (também) com a tua família.

Sexta-feira, Junho 2, 2017

"Temos que avaliar o contexto em que vivemos. Aceitar que não somos mais nem melhores que ninguém. Aceitar que é preciso ceder, fazer, construir. Em conjunto. É preciso casar com tudo o que já existia antes de lá chegarmos. É preciso saber que não somos de ninguém e que ninguém é, exclusivamente, nosso."   Hoje, na Capazes, ...

Ler mais...

celulite sem vergonha.

Segunda-feira, Maio 29, 2017

Aqui há dias abri o Instagram e naquelas histórias rápidas que duram 24H, vi uma fotografia da Filipa Onofre Maia com um fato de banho maravilhoso. Percebi que era uma fotografia publicitária, mas na legenda ela escrevia «Sim, tenho celulite!». O fato de banho era um espanto e tive que voltar atrás para reparar que, efectivamente, ...

Ler mais...

Sim, Fui Traída.

Quarta-feira, Abril 26, 2017

Sim, Fui Traída na   Achamos naquele instante que tudo perdeu o sentido. Que ficar sozinho é tão medonho como estar num quarto escuro aos cinco anos. Que precisamos mesmo de alguém ao nosso lado para nos sentirmos mulheres. Ou homens. Ou completos. Ou felizes. Não. Precisamos de nós e de amores que nos tragam paz. Sobretudo, paz.  LER ...

Ler mais...

Cuidado com o que dizes.

Terça-feira, Março 7, 2017

Tu não sabes. Tu não sabes quantas dores habitam numa casa. Quantas histórias já se contaram em lágrimas. Quantas depressões profundas se deitaram e embalaram corpos na marcha do suicídio. Quantas vezes a tristeza, quase, matou. Ou o medo o impediu. Tu não sabes.   Tu não sabes, quando apontas o dedo aos homossexuais e os apelidas ...

Ler mais...

Licença Sem Vencimento.

Sexta-feira, Janeiro 27, 2017

  Às vezes não sei que caminho seguir. Sinto aquela avidez de mudança quase opressiva. Não quero viver na mesma casa, mudo os móveis de sítio, compro almofadas novas. Procuro um sem número de casas para arrendar e depois percebo que o problema não é a casa, mas sim o sítio. Aí, penso em mudar de ...

Ler mais...

O meu brinde ao 2016.

Terça-feira, Dezembro 27, 2016

2016 levou muita gente. Levou a minha avó. De todos os nomes sonantes que chorámos nenhum se compara ao dela. Maria de Lurdes. 2016 levou algumas pessoas, mas trouxe outras. Trouxe o Francisco e o Ernesto e terá trazido tantos outros filhos a este mundo, no qual temos que continuar a acreditar. 2016 foi o ...

Ler mais...