o mar, pela Alice.

O mar. O mar sempre me calou a alma. Com a quietude de ondas brandas, tantas vezes capazes de embalar um corpo que apenas boia. Ondulante. Em silêncio. O mar escuta um corpo que pede ajuda. Traz e leva o impulso de que ele precisa. Tantas vezes foi ele o confidente das dores abafadas, das ...